Aves

Bengalim do Japão: Características, Reprodução, Alimentação e Canto

Bengalim do Japão: Características, Reprodução, Alimentação e Canto!

Bengalim do Japão: Características, Reprodução, Alimentação e Canto
5 (100%) 1 vote

Bengalim do Japão: Características, Alimentação e Reprodução alguns dos tópicos que vamos ver sobre o Bengalim do Japão. Pois o bengalim é uma ave desenvolvida em cativeiro por criadores japoneses. Não se sabe ao certo qual o ponto de partida do seu desenvolvimento, mas existem duas teorias dominantes: é o produto do cruzamento de várias espécie de aves silvestres do mesmo gênero Louchura; ou resulta da Seleção a partir da espécie silvestre Louchura Striata.

O que sabe ao certo é que o Bengalim é uma ave totalmente doméstica, nunca tendo existido na natureza. São por isso ótimas aves de estimação que podem ser alojadas tanto em aviários como em gaiolas, mas que, tal como os outros tentilhões, não gostam particularmente de ser manuseados. Hoje no blog Passaro.org vamos detalha tudo sobre o Bengalim do Japão, tais como as Características, Alimentação, Ciclo de Vida e Habitat!

Bengalim do Japão Características
Bengalim do Japão

Características Sociais do Bengalim do Japão:

É por ventura das aves mais sociáveis do mundo, e também aquela que mais ajuda os criadores, sem grandes exigências, a criar inúmeras espécies de pequenos exóticos.

Alimentação do Bengalim do Japão:

O Bengalim do Japão é uma ave fácil de alimentar. Uma dieta com base em sementes para estes animais existe no mercado e é geralmente composta por alpista, milho comum, sementes de girassol e sementes de cardo. Deve adicionar a esta mistura Painço e Senha.

Regularmente, uma vez por semana, deve-se dar verduras, tais como chicória, agrião, dente-de-leão e espinafres, e fruta, maçã ou banana, entre outros. O Bengalim do Japão não necessita de alimento vivo na época de procriação, mas pode-se reforçar a dieta com farinhada de canário. Sempre disponível, deve estar areia para o fornecimento de cálcio e sais minerais.

Reprodução do Bengalim do Japão:

O Bengalim do Japão é assim de tudo, um progenitor perfeito. O seu instinto é tão apurado, que fazem dele a ama de excelência. A maioria das aves exóticas necessita de amas para a reprodução, amas estas, escolhidas e introduzidas pelo homem e não por si. Deve-se a essencialmente dois motivos: a maioria delas é má progenitora devido ao “exílio” em cativeiro, ou porque abandonam os ovos em caso de inspeção do ninho.

Com a utilização dos bengalins como amas, estes problemas deixam de existir, pois apesar de ter sido “criado” em cativeiro, revela um enorme instinto maternal, alimentando quase que qualquer bico que lhe seja colocado no ninho.

Outras características dos Bengalins, é que muito dificilmente abandonarem o choco, por mais inspeções que sejam feitas ao ninho, características fazem do Bengalim do Japão uma ama de excelência, sendo escolhidos para “adotarem” os ovos e/ou crias de outros exóticos compatíveis.

Reprodução do Bengalim do Japão
Bengalim do Japão

Temperamento do Bengalim do Japão:

Calmos e sociáveis, são escolhas de excelência para uma voadeira comunitária. Não devem partilhar o alojamento com aves conflituosas e gostam de viver em grupo em vez de estarem em pares ou sozinhos. (aconselho o “isolamento por casal” para procriação).

Criação do Bengalim do Japão:

Como todos os passeriformes, o Bengalim é uma ave fácil de se criar, exigindo pouco espaço, é necessário uma gaiola de 35 x 35 x 40 para alojar um casal, e o ninho utilizado para essa espécie pode ser o mesmo utilizado para outros passeriformes exóticos, como caixa de madeira muito usada pelos periquitos australianos ou também pode ser disponibilizado os materiais para que as próprias aves o façam. Os bengalins são aves resistentes e convivem em harmonia com outras aves. Se pretende ler mais artigos parecido com esse, recomendamos que veja: Quiriquiri.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Alan Costa

Sou Graduado em ornitologia pela (UFRJ) Universidade Federal do Rio de Janeiro, sou um amante da vida natural, é focado em sempre levar boas informações aos leitores.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar