Início » Sem categoria » Benedito-de-testa-amarela: origem, características, reprodução, alimentação, canto e hábitos

Benedito-de-testa-amarela: origem, características, reprodução, alimentação, canto e hábitos

benedito-de-testa-amarela

Benedito-de-testa-amarela (Melanerpes flavifrons) é uma ave piciforme da família Picidae, conhecido também como benedito, bereré (Rio Grande do Sul), golelêim (Vale do Ribeira/São Paulo), pica-pau-de-fronte-amarela, pica-pau-do-mato-virgem e rididico.

benedito-de-testa-amarela
benedito-de-testa-amarela

Hoje no blog dos pássaros vamos trazer aos nosso leitores algumas informações sobre essa maravilhoso pássaro e origem.

Além disso, esta é espécie de ave pode ser encontrada no extremo nordeste da Argentina, no Brasil e no Paraguai.

Contudo, os seus habitats naturais são tropicais húmidos, florestas subtropicais de várzea e florestas degradadas.

Origem

O benedito-de-testa-amarela é um pica-pau nativo do leste da América do Sul.

E a sua distribuição inclui o leste e sudeste do Brasil, leste do Paraguai e nordeste da Argentina, em altitudes que vão do nível do mar a cerca de 1 800 metros.

Características do benedito-de-testa-amarela

caracteristicas do benedito-de-testa-amarela
caracteristicas do benedito-de-testa-amarela

benedito-de-testa-amarela é um pica pau que tem cerca de 19,5 centímetros.

Esta espécie de ave e multicolorida a garganta amarelo-vivos, vértice posterior e nuca vermelhos no macho e pretos na fêmea.

Além disso, o pescoço posterior, dorso superior e asas negros; dorso inferior e uropígeo brancos, peito superior pardacento, peito inferior e ventre vermelhos; flancos barrados de preto e branco.

Reprodução do benedito-de-testa-amarela

Na época de reprodução do benedito-de-testa-amarela ele costumar exibir-se em diversas posições e movimentos pousando perto uns dos outros.

Ele faz seu ninho em escavando buracos em árvores mortas e palmeiras, sendo que a entrada do ninho corresponde ao tamanho de seu corpo para evitar a entrada de predadores.

Gosta de se reproduzir juntos, um macho e três fêmeas ou quatro machos e duas fêmeas em um único ninho ou vários ninhos em uma única colônia.

A fêmea põe de 2 a 4 ovos brancos brilhantes com a tarefa de incubar os machos por um período de 12 dias.

Cabe à fêmea manter a higiene do ninho e retirar os excrementos dos filhotes.

Além do casal, outros membros do bando ajudam a alimentar e proteger os filhotes, que permanecem no ninho por até 5 semanas.

Depois de deixar o ninho, os filhotes voltam para lá todas as noites para dormir.

Os ninhos são frequentemente assediados por tucanos e araçaris, podendo também ser ocupados por periquitos.

Alimentação

alimentacao do benedito-de-testa-amarela
alimentacao do benedito-de-testa-amarela

O benedito-de-testa-amarela se alimenta principalmente de frutas, como o mamão, laranja, banana, abacate, embaúba, caruru, etc e de sementes, mas come também insetos e suas larvas.

Ele tem o hábito de estocar comida em buraquinhos, naturais ou que ele próprio perfura, no tronco de árvores.

Hábitos

Esta aves são bastante barulhento, gosta de exibir suas cores vistosas, e são encontrados aos casais ou pequenos bandos que raramente deixam as copas das árvores da mata.

benedito-de-testa-amarela é extremamente sociável, sendo que alguns indivíduos associam-se para dormir num mesmo abrigo.

Habitat

Esta espécie de pica-pau habita na Mata Atlântica de montanha e na de encosta, em restinga, pomares, plantações, palmitais, matas secundárias e capoeiras.

Canto do benedito-de-testa-amarela

Distribuição geográfica

O benedito-de-testa-amarela esta presente na Bahia e Minas Gerais ao Rio Grande do Sul, sudoeste de Mato Grosso, Goiás, Paraguai e Argentina (Misiones).

Fotos do benedito-de-testa-amarela

benedito-de-testa-amarela
benedito-de-testa-amarela
benedito-de-testa-amarela
benedito-de-testa-amarela
benedito-de-testa-amarela
benedito-de-testa-amarela
benedito-de-testa-amarela
benedito-de-testa-amarela
benedito-de-testa-amarela
benedito-de-testa-amarela
benedito-de-testa-amarela
benedito-de-testa-amarela

Conservação da espécie 

Segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza, a situação da espécie é pouco preocupante.

Sou Graduado em ornitologia pela (UFRJ) Universidade Federal do Rio de Janeiro, sou um amante da vida natural, é focado em sempre levar boas informações aos leitores.