Aves

Codorna Mineira – Características, Alimentação, Reprodução e Hábitos!

Codorna Mineira – Características, Alimentação, Reprodução e Hábitos!
Gostou do post? Avalie!

Codorna Mineira – Características, Alimentação, Reprodução e Hábitos, Alem disso, Conhecida também como codorna-buraqueira, a Codorna Mineira é considerada uma ave brasileira tinamiforme. Com aproximadamente 19,5 cm o animal é habitante dos cerrados e áreas mais sujas, encontrando o mesmo principalmente na região sudeste, nos estados de Minas gerais, São Paulo e em pequena parte no centro-oeste brasileiro.A Codorna Mineira recebe a também denominação de corona buraqueira, pois possui o hábito diário de esconder alimentos ou mesmo esconder a si própria em buracos feitos no solo.Codorna Mineira

Sua alimentação é totalmente realizada em período diurno a base de insetos, pequenos grãos e frutos encontrados no caminho por onde passa. Em passaro.org, gostaríamos de explicar as principais características da Codorna Mineira. Também o que comem e seu habitat, de uma maneira muito simples para que, se você quiser, você possa compartilhá-lo com seus filhos.

Características:

Mede de 18 a 20 cm de comprimento. É uma codorniz pequena, de coloração avermelhada. Coroa preta malhada de amarelo, face de cor amarelo quente, garganta de cor pálida. Pescoço de cor castanho–amarelado com malhas de castanho-escuro tornando-se listrado no peito. A parte inferior do corpo de uma cor suave, castanha–amarelada com manchas castanhas nos flancos. A parte superior do corpo é de cor castanha escura com tons avermelhados e de franjas creme. Asas avermelhadas e escurecidas. Patas amareladas, bico preto e íris castanha.

Alimentação:

Às vezes, sai para capinzais baixos para comer sementes, frutas caídas pelo chão e insetos, como as formigas saúvas. Necessita de espaços sujos e depende principalmente de áreas onde existam várias espécies de tatus. Diante de qualquer perigo, principalmente de gaviões e falcões, encontra refúgios seguros dentro das galerias que os tatus cavam. Esconde-se e se alimenta de vários insetos, minhocas, filhotes de répteis, principalmente de várias espécies de cobras venenosas e outros animais peçonhentos.

Reprodução:

Reproduz-se, provavelmente, entre outubro e fevereiro. Faz seu ninho cavando uma pequena depressão no solo em campos sujos entre capinzais espessos onde põe de 2 a 4 ovos que são chocados pelo macho. Os filhotes assim que nascem deixam o ninho e passam a acompanhar o casal até a idade juvenil, quando já podem sobreviver sozinhos. Os filhotes se escondem assim que ouvem ruídos que possam ameaçá-los. Logo que nascem já percebem o perigo através da vocalização de outras aves.

Hábitos:

A Codorna-Mineira é muito rara e dificilmente se consegue visualizá-la. Vive em campos sujos, em meio a espinheiros e cupinzeiros. É uma espécie frágil e muito mansa. Ela sai de capinzais espessos e anda por áreas degradadas e abertas à procura de comida, antes cerrado sujo, hoje grandes plantações de soja. Os tratores e aviões carregados de agrotóxicos venenosos pulverizam áreas extensas, levando-a à morte ou tornando-a imprópria para reprodução.

Na sua área de atuação em fazendas, habita alguns pontos altos onde as máquinas não conseguem manejar o solo e ela se refugiam nesse pequeno espaço. Parece não ter futuro para a espécie, pois o que resta agora de área em que ela sobrevive está sendo tomado por plantações de eucaliptos. É uma ave muito arisca, que se agacha e fica imóvel por muito tempo, misturando-se à vegetação local para confundir seus predadores.Codorna Mineira-habitat

Mas bastam algumas horas de convivência para que ela fique mansa e dócil, sem muito se importar com a presença humana. Essa ave praticamente não vive sem a presença do tatu, pois esse mamífero cava, pelos campos, inúmeros túneis, nos quais ela se esconde. Ao sentir-se ameaçada, alça longo e alto voo e, ao planar, consegue ver um buraco de tatu onde entra, tornando sua captura muito difícil. Dentro do buraco, permanece imóvel por várias horas, até sentir-se segura para sair.

Quando descoberta, é possível pegá-la com a mão, pois não oferece nenhuma resistência. O curioso é que a Codorna Mineira só entra em túneis em que não haja outro animal, como o próprio tatu, lagartos, cobras ou outros animais peçonhentos.

Canto:

História Evolutiva:

As codornas encontram-se na categoria dos animais mais antigos a habitar a região brasileira. Antes mesmo do descobrimento das terras, os índios já utilizavam do animal como fonte de alimentação diária. Inseridas na classe dos tinamídeos, as Codorna Mineira também formam as primeiras aves a habitarem a América do Sul.

Biólogos admitem ser a Argentina no passado um grande fluxo de codornas, especialmente as buraqueiras, que se concentravam nas regiões mais quentes e com puçás vegetações, podendo migrara com facilidade em grandes grupos para demais áreas. Se pretende ler mais artigos parecido com esse, recomendamos que veja: Coruja Mascarada.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Alan Costa

Sou Graduado em ornitologia pela (UFRJ) Universidade Federal do Rio de Janeiro, sou um amante da vida natural, é focado em sempre levar boas informações aos leitores.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar