Pássaros Silvestres

Curió: Preço, Cantos, Tipos, Como Criar e Alimentar!

Curió: Preço, Cantos, Tipos, Como Criar e Alimentar!

Curió e o seu Preço, Cantos, Tipos, Como Criar e Alimentar. De nome científico: Oryzoborus angolensis, o Curió é uma ave passeriforme da família Emberizidae, oriunda do Brasil e muito apreciada através do seu canto.

Mede aproximadamente 15 cm, sendo que o macho é preto na parte superior do corpo e castanho-avermelhado na parte inferior, sendo a parte interna das asas na cor branca, já a fêmea é toda na cor marrom. Hoje no blog Passaro.org vamos detalha tudo sobre o Curió, tais como Características, Alimentação, Canto e Habitat!

Curió
Curió

Além disso, pode ser identificada nos seguintes países: Argentina, Belize, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Equador, Guiana Francesa, Guatemala, Guiana, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Suriname, Trinidad e Tobago e Venezuela.

Características Físicas do Curió:

As principais características físicas do Curió, são:

  • Tamanho: 14 centímetros de comprimento;
  • Escala de saúde (1 a 5): 4;
  • Temperamento: amigo, próximo do humano e belo cantor;
  • Cor: preto, com uma mancha branca na asa e o peito vinho;
  • Expectativa de vida: 20 a 30 anos.

Habitat do Curió:

Os seus habitats naturais podem ser: florestas subtropicais ou tropicais húmidas de baixa altitude e florestas secundárias extremamente degradadas. Sua reprodução em cativeiro é extremamente fácil, contribuindo para a apuração da genética, que os criadores buscam, é boa voz, melodia e repetição, existem dois tipos muitos apreciados, que são a modalidade fibra e a modalidade canto clássico, que existem bastante dialeto de cantos, de acordo com cada local do Brasil, assim como o Paracambi, Praia Grande, Goiana, Timbira, Vi Teu Teu expectativa de vida do Curió é de 8 a 10 anos na natureza, podendo chegar aos 35 anos em ambiente doméstico.

Alimentação do Curió:

A ração para qualquer ave deve ser muito bem balanceada. Existe no mercado uma enorme diversidade de marcas e composições típica para cada espécie. O armazenamento do alimento deve ser feito com cuidado preservando as devidas condições de ventilação e higiene. O Curió também pode se alimentar de alguns insetos e de diversas sementes, particularmente as de capim navalha.

No hipótese dos filhotes, deixe que a mãe os alimente. Não coloque o alimento direto no ninho, mas dê ao casal e eles realizaram o trabalho. Tome cuidado ao dar frutas e verduras. Tenha certeza de que não foi transmitido inseticida na plantação e se estão estragadas.

Como Diferenciar o Curió Macho da Fêmea:

Como Diferenciar o Curió Macho da Fêmea
Como Diferenciar o Curió Macho da Fêmea

Existem algumas diferenças entre os machos e fêmeas de Curió. A mais visível é a cor das penas. O macho adulto apresenta a coloração do manto preto com o ventre castanho-avermelhado e uma mancha branca em cada asa.

Já as fêmeas são amarronzadas, com o ventre pardo. Outra forma de diferenciar o Curió fêmea do macho é através do bico. O Curió macho tem um bico mais grosso e forte. Já o da fêmea é meio arredondado e mais delicado. Vale lembrar que as dicas acima valem para pássaros adultos. Para filhotes o método mais seguro é o exame de DNA.

Tipos de Cantos de Curió:

No Brasil foram distribuídos aproximadamente de 128 tipos diferentes de canto de Curió. Normalmente especificados por serem provenientes de determinadas regiões do País. Os cantos mais conhecidos e conhecidos foram os que tiveram a qualidade distinta da repetição.

Sendo eles podemos destacar o Viteu (Bahia), o Vi Vi Te Teu (Pernambuco), o Vovo Yiviu (Alagoas), o canto Paracambi (Rio de Janeiro), o Catarina (Santa Catarina), o Timbira (Maranhão) e finalmente o Praia Grande (Litoral de São Paulo).  Você pode baixar o canto do curió, clicando AQUI!

Preço do Curió:

O preço de animais, principalmente de aves varia bastante, mesmo dentro de uma mesma raça. Depende da idade, da mutação, se é manso ou arisco, o que sabe fazer e quantos cantos faz e etc. Um Curió varia de 150 até 100 mil reais, existem preços realmente absurdos, mas tudo depende do pássaro.

O ideal é comprar filhote, para crescer acostumado com você e manso. Alem da maior facilidade de ensinar truques e cantos. Procure um Pet Shop ou um criador experiente.

Acasalamento do Curió:

O macho possui a cor preta e vinho. A fêmea é toda na cor marrom. A fêmea deve estar sozinha na gaiola de criação, e o macho em outra gaiola não necessariamente de criação. Passe com a gaiola do macho na frente da gaiola da fêmea, se a fêmea pedir gala o macho deve ser solto na gaiola criandeira junto com a fêmea.

A partir daí o macho e a fêmea vão acasalar. Analise o momento da gala que pode demorar apenas alguns segundos e após a gala retire o macho. Uma informação que podemos ressaltar é que a fêmea pode vir a bater no macho após a gala. Por esta razão, criadores profissionais utilizam gaiolas especiais para acasalar.

Uma chamada de gaiola galadeira, é usada  para realizar o acasalamento, essa gaiola fica acoplada na gaiola criadeira da fêmea e assim quando acopladas, uma pequena abertura na gaiola do macho e da fêmea permite ao macho no momento que a fêmea pedir gala ele vá sozinho para a gaiola da fêmea e ao terminar a gala ele volta sozinho para a sua gaiola, porque a fêmea irá ficar agressiva após a gala.

Curió
Curió

Gestação do Curió:

O período reprodutivo de sua criação de Curió deve acontecer na primavera, o que alterna de acordo com a região do Brasil. Neste período, o par deve estar próximo e palhas devem ser postas na gaiola para que a fêmea realize o seu ninho naturalmente.

Depois de quatro dias do casal unido o primeiro ovo deve surgir e o casal já pode ser separado em gaiolas laterais. Para saber se o ovo é fértil, coloque-o contra uma lâmpada e vai ver se há embrião ou se é um ovo galado, ou seja, sem fertilização.

O período de gestação deve ter uma duração  em média 12 a 15 dias. Após isso, as fêmeas irão começar a alimentar os filhotes. Analise este período e de modo algum toque nas pequenas aves de Curió, ou a fêmea os rejeitará e eles não serão alimentados, morrendo logo depois. Cerca de 3 meses após o o dia que nasceu os filhotes estão mais fortes e já podem ser comercializados

Alan Costa

Sou Graduado em ornitologia pela (UFRJ) Universidade Federal do Rio de Janeiro, sou um amante da vida natural, é focado em sempre levar boas informações aos leitores.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar