Aves

Ema: Características, Alimentação, Reprodução e Predadores

Ema: Características, Alimentação, Reprodução e Predadores

Ema é uma ave de grande porte, muito conhecida. Esta ave brasileira, não voadora, é a que desenvolve a maior velocidade nas corridas, cerca de 60km/h. No mundo, só perde para o avestruz que alcança os 80km/h. No Brasil, ocorrem três subespécies da Ema.

Rhea americana americana (quase extinta) que habita os cerrados e a caatinga; a redução da população desta subespécie foi agravada pela fome generalizada no Nordeste brasileiro, onde foi caçada pelo homem para alimentação.

Ema
Ema

Rhea americana intermedia, um pouco maior que as outras e com maior população atual; ocorre nos Estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e está praticamente extinta no Rio Grande do Sul. Rhea americana albescens que habita o Sudoeste do Centro-Oeste brasileiro, Sul da Bolívia e Norte da Argentina.

Os principais fatores que levaram à diminuição das populações de Ema foram a destruição do habitat natural (cedendo lugar para a agropecuária); a caça para alimentação e para a proteção das plantações, e os atropelamentos.

Os agricultores não vêem a Ema com bons olhos; ela gosta de se alimentar dos tenros brotos e das sementes enterradas; ao lado do Parque Nacional das Emas, GO, é comum vê-las (junto com os veados) saírem da área protegida para se alimentarem nas plantações contaminadas com agrotóxicos que, ingeridos, comprometem a saúde do animal e a de sua prole. Por outro lado, os pecuaristas consideram esta ave útil por se alimentarem de pequenas serpentes além de carrapatos e moscas que parasitam o gado.

Características:

A Ema é uma ave pernalta de grande porte. É uma ave corredora que, pela incapacidade de voar, lembra o avestruz da savana africana. Aliás, acredita-se que tenham um ancestral comum. Mas se as asas não lhe servem para voar, desempenham papel importante na corrida, pois funcionam como uma espécie de leme, ajudando a ave a equilibrar-se e a mudar de direção.

Ema-habitat
Ema-habitat

Plumagem macia e cinza; sem cauda. Os machos possuem o pescoço negro, quando adultos. São dotadas de boa visão. Desenvolve a maior velocidade nas corridas, cerca de 60km/h. No mundo, só perde para o avestruz, que alcança os 80km/h.

São aves rústicas que sobrevivem à seca; por outro lado, não suportam grandes períodos de chuvas pois suas penas não são impermeáveis e o excesso de umidade pode ser fatal para os filhotes. Alcançam 2 m de altura, peso de 36 Kg e envergadura de 1,50 m.

Canto:

Alimentação:

Ema é uma ave onívoras, ou seja, comem de tudo, porem preferem brotos de plantas e pequenos animais (insetos como gafanhotos e lagartas; pequenos vertebrados, como lagartos, rãs, e cobras pequenas. Também comem sementes, raízes e frutas. Elas caminham muito em busca de seu alimento.

Habitat:

Ema vive em áreas abertas como campos e cerrados da América do Sul. Eles evitam gramado aberto. Emas vivem em áreas com pelo menos algum vegetação alto. Durante a estação de procriação, eles ficam perto de rios, lagos, lagoas e brejos. Biomas: savanas, chaparral, deserto, floresta tropical com arbusto, savana tropical & campos.

Ema-1
Ema-1

Reprodução:

têm hábitos peculiares de reprodução. O macho, dominante do bando, expulsa os rivais e reúne um harém de três a seis fêmeas, que põem seus ovos em um mesmo ninho, uma concavidade rasa no solo. A postura completa varia entre 20 e 30 ovos esbranquiçados, elípticos, que pesam cerca de 600g. O macho é quem choca os ovos, por cerca de 40 dias, e cuida dos filhotes. Por volta dos seis meses, os filhotes já têm o tamanho de uma fêmea adulta.

Distribuição Geográfica:

A família Rheidae é endêmica da América do Sul. A Ema é avistada, portanto, no Sul do Pará, Nordeste (em direção ao Maranhão), Vale do São Francisco, Sul e Centro-Oeste do Brasil. Nos países vizinhos é encontrada no Paraguai, Bolívia, Argentina e Uruguai.

Predadores:

Os ovos da Ema são comidos pelo lagarto teiú (Tupinambis sp.) e os filhotes pelo lobo-guará (Chrysocyon brachyurus), felinos de pequeno porte e gaviões. Habitam campos abertos e cerrados. Se pretende ler mais artigos parecido com esse, recomendamos que veja: Condor dos andes.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Alan Costa

Sou Graduado em ornitologia pela (UFRJ) Universidade Federal do Rio de Janeiro, sou um amante da vida natural, é focado em sempre levar boas informações aos leitores.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar