Início » Aves » Arara-azul-pequena: características, alimentação, hábitos habitat e causas da extinção

Arara-azul-pequena: características, alimentação, hábitos habitat e causas da extinção

características da arara-azul-pequena

A arara-azul-pequena (Anodorhynchus glaucus) é uma ave extinta da família Psittacidae era parente da arara-azul e da arara-azul-de-lear.

arara-azul-pequena
arara-azul-pequena

arara-azul-pequena era uma arara encontrada na baixa bacia dos rios Paraná e Uruguai, na Argentina, Paraguai, Uruguai e sul do Brasil.

Hoje no blog dos pássaros vamos trazer aos nosso leitores algumas informações sobre esse pássaro e as causas da extinção.

Além disso, ele também é conhecida pelos nomes de arara-azul-claro, arara-celeste, arara-preta, araraúna e araúna.

Esta espécie de arara é considerada extinta por muitos pesquisadores por não ser avistada na natureza há mais de 80 anos, sendo que não existem exemplares em cativeiro.

Características da arara-azul-pequena

características da arara-azul-pequena
características da arara-azul-pequena

A arara-azul-pequena era uma ave que media 70 centímetros de comprimento, a plumagem tinha uma coloração azul pálida e esverdeada, a cabeça era grande, de plumagem acinzentada, com um bico grande e uma cauda muito longa.

Além disso, a área nua na base da mandíbula possuía formato quase triangular e de tom amarelo-pálido.

Com relação ao anel perioftálmico era amarelo, mais pálido do que na região em torno da mandíbula, e o tarso e metatarso eram cinza escuro.

Alimentação da arara-azul-pequena

arara-azul-pequena se alimentava-se de frutos de palmeiras com frutos grandes, como o butiá-yataí e o butiá.

Contudo, além de outras palmeiras que ocorrem em sua área de distribuição histórica, como o carandaí e o carandá, é provável que também se alimentava de frutos da estação.

Hábitos

causas da extinção

Como não há relatos confirmados, supõe-se que tenha construído ninhos em cavidades de margens de rios, paredões rochosos ou cavidades de árvores.

Era visto aos pares e juntava-se em grupos para se alimentar nas palmeiras, onde os frutos verdes também proporcionavam uma boa camuflagem.

Habitat

A espécie foi historicamente distribuída no norte da Argentina, sul do Paraguai, nordeste do Uruguai e sul do Brasil ao sul do estado do Paraná.

Era endêmica do curso médio dos rios Uruguai, Paraná e Paraguai e áreas adjacentes.

Relatos de exploradores dos séculos XVIII e XIX indicam que a espécie habitava savanas arborizadas intercaladas com matas e palmeirais, como a palmeira butiá jataí (Butia yatai), principalmente ao longo de rios com desfiladeiros íngremes.

Causas da extinção

causas da extincao da arara azul pequena
causas da extincao da arara azul pequena

A espécie nunca foi muito difundida em seu alcance e as populações diminuíram significativamente em meados do século 19 devido à caça e comércio ilegal e destruição e degradação do habitat.

Dois registros são aceitos durante o século 20, uma observação direta no Uruguai em 1951 e relatos locais no estado do Paraná no início da década de 1960.

Embora geralmente considerada extinta, rumores persistentes de avistamentos recentes, relatos locais e rumores de aves comercializadas na Holanda na década de 1970.

No Brasil em meados da década de 1970 e na Suécia na década de 1980 sugerem que a espécie pode ter sobrevivido.

A espécie tem poucos registros de cativeiro, e os últimos exemplares morreram em 1912 no Zoológico de Londres, em 1905 ou 1914 no Jardin dAclimatação em Paris.

Sou Graduado em ornitologia pela (UFRJ) Universidade Federal do Rio de Janeiro, sou um amante da vida natural, é focado em sempre levar boas informações aos leitores.