Sem categoria

Biguá: Características, Alimentação, Reprodução e Hábitos!

Biguá: Características, Alimentação, Reprodução e Hábitos!

Biguá: Características, Alimentação, Reprodução e Hábitos!
3.1 (61.97%) 61 votes

Biguá e Suas Características, Alimentação, Reprodução e Hábitos. Além disso, O Biguá (Nannopterum brasilianus) é uma ave suliforme da família Phalacrocoracidae. Ave aquática, mergulha em busca de peixes e permanece um bom tempo debaixo d’água, indo aparecer de novo bem lá na frente, mostrando apenas o pescoço para fora d’água.

bigua alimentação
bigua alimentação

Para facilitar seus mergulhos, suas penas ficam completamente encharcadas, eliminando o ar que fica entre elas. Para secá-las é comum vê-lo pousado com as asas abertas ao vento.

Quase sempre visto em grandes bandos voando próximo d’água, em formação em “V”. Quando voa se assemelha a patos, sendo às vezes considerado como tal, equivocadamente.

Também é conhecido pelos nomes de Biguá-una, imbiuá, mergulhão, cormorão, miuá e pata-d’água. Por ser inteiramente negro, recebe o nome comum, também, de corvo-marinho.

Características:

O Biguá é a única ave que ocorre no Brasil do grupo dos cormorões, conhecidos como ótimos mergulhadores. O macho adulto mede 75 centímetros e pesa até 1,3 kg.

O nosso mergulhão pode ser encontrado em todo o território brasileiro, sendo que ocorre desde o sul do Chile até os Estados Unidos.

Basta ter água e peixe e lá está o Biguá: um famoso pescador. A espécie é piscívora, capturam com freqüência peixes providos de ferrões, como pequenos bagres, já que o suco gástrico do Biguá é capaz de desagregar espinhas.

A pescaria pode ser solitária, quando realiza grandes mergulhos, ou coletiva. Na primeira modalidade de pesca, o Biguá garante a boa fama de pescador porque parte de sua capacidade de mergulhar, ao contrário da maioria das aves, se deve as penas dele não ser muito impermeáveis.

Já na pescaria em grupo a estratégia adotada, geralmente durante a piracema quando se formam grandes cardumes que migram para as cabeceiras dos rios no período da cheia para a reprodução, é a do cerco. Centenas de Biguás se unem para empurrar o cardume para a margem ou para partes mais rasas dos rios e lagos.

Alimentação:

Alimenta-se de peixes e crustáceos. Para capturar sua presa, mergulha a partir da superfície da água e, submerso, persegue-a. Os pés e o bico possuem função primordial na perseguição e captura.

Um exímio mergulhador, não se contenta com os peixes da superfície. Mergulha mar abaixo e em meio a ziguezagues e viravoltas, conseguindo capturar sua presa. Come também girinos, sapos, rãs e insetos aquáticos.

Reprodução:

É monogâmico. Na época do acasalamento, o ritual de corte do Biguá envolve uma ampla gama de movimentos e sons, com as aves agitando as asas e movimentando o pescoço de maneira peculiar.

Os membros do casal roncam como um porco, empoleirados lado a lado, e executam curiosos meneios laterais com a cabeça, por repetidas vezes, copulando a seguir. Nidifica em colônias sobre árvores em matas alagadas, sarandizais, etc.

O ninho é construído pelo casal. Enquanto o macho escolhe os locais de nidificação e traz material de ninho, é a fêmea que realmente constrói o ninho. Porções de ninhos anteriores são frequentemente reutilizadas. Os ninhos são geralmente compostos por uma camada externa espessa de galhos e gravetos, forrada com gramíneas moles e algas.

Biguá
Biguá

A fêmea Biguá põe geralmente 3 a 4 ovos ovais, de cor azul a azul-claro, que são incubados pelo casal. O período de incubação varia de 23 a 26 dias.

Os filhotes são alimentados por ambos os pais, que regurgitam o alimento em seus bicos. São alimentados até as 11 semanas de vida, e com 12 semanas já são totalmente independentes.

Habitat:

A nidificação acontece em colônias que estão localizadas em árvores nas matas alagadas entre outras. A construção do ninho é de responsabilidade do casal, o papel do macho é escolher os locais de nidificação e conseguir o material para fazer o ninho enquanto que o da fêmea é fazer a construção do mesmo.

É comum que as aves reutilizem materiais de outros ninhos. Normalmente esses ninhos são feitos de uma camada externa espessa que é composta de galhos e gravetos e cujo forro é feito com gramíneas ou algas.

Cantos:

As garça atrapalharam um pouco, mas dá pra ouvir bem o Biguá no início.

Hábitos:

Normalmente essa ave vive em águas bem interiores ou então na orla marítima. Existem alguns casos de Biguá que são encontrados em lagos, represas, açudes, estuários entre outros.

Mesmo não tendo o hábito de se afastar da costa para ir ao mar ele voa para ilhas que estejam localizadas perto da costa. Aliás, a sua nidificação pode ocorrer por lá. Se pretende ler mais artigos parecido com esse, recomendamos que veja: Caçula.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Alan Costa

Sou Graduado em ornitologia pela (UFRJ) Universidade Federal do Rio de Janeiro, sou um amante da vida natural, é focado em sempre levar boas informações aos leitores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar