Pássaros Silvestres

Graúna – Características, Alimentação, Reprodução e Hábitos!

Graúna - Características, Alimentação, Reprodução e Hábitos!

Graúna e suas Características, Canto, Alimentação e Reprodução. Além disso, o Graúna do Nordeste (G. chopi sulcirostris), também chamada de melro, é maior e mais reluzente que a forma típica encontrada no sul, leste e oeste do país (G. chopi chopi), que recebe várias outras designações regionais, como Graúna, vira-bosta e vira-campo. A Graúna vive em pastos e plantações, frequentando árvores isoladas. Alimenta-se principalmente de grãos e frutas.

Nidifica em árvores ocas, quando não aproveita ninhos de outras aves, como o pica-pau, ou buracos em barrancos. O canto da Graúna, emitido com o corpo em posição ereta e acompanhado de vibração das asas, é um dos mais fortes e melodiosos dentre os de todos os pássaros brasileiros.

Causa especial impressão quando entoado em bando, como acontece com freqüência no interior do país. Hoje no blog Passaro.org vamos detalha tudo sobre o Graúna, tais como Características, Alimentação, Reprodução e Hábitos!

Graúna
Graúna

Pássaro da família dos icterídeos, a mesma do chopim, do xexéu e do corrupião, a Graúna (Gnorimopsar chopi) é toda preta, com um brilho sedoso na plumagem. Mede de 21,5 a 25,5 cm de comprimento e ocorre em todo o Brasil, exceto a Amazônia.

Características do Graúna:

Também conhecido como Graúna ou melro, mede 21,5 cm de comprimento. Trata-se de um dos pássaros de voz mais melodiosa do Brasil. Há quem confunda a Graúna com o atrevido chopim ( Molothrus bonariensis ), famoso por parasitar o ninho de várias espécies (ex.:tico-tico). Enquanto o Chopim é elegantíssimo, esguio e traja cintilantes vestes de tom violáceo, a Graúna é negra mesmo e de porte mais avantajado, além de saber nidificar, não se descuidando da criação da ruidosa prole. Coloração negra uniforme e brilhante.

Comportamento do Graúna:

Muito sociável e companheiro. Na natureza, vive em grupos bastante barulhentos. No final da tarde, para dormir, reúnem-se entre as folhagens de uma árvore isolada. Apesar de sociável, na época de acasalamento é extremamente territorialistas. Em cativeiro, são capazes de aprender pequenos truques e reconhecerem os membros da família, aceitando carinhos e respondendo aos chamados com seu belo canto.

Deve, porém, ser treinada aos poucos, pois, assusta-se facilmente e um trauma poderá torná-la medrosa e arredia. Uma vez que se sinta a vontade, segura, no meio em que vive e, acostumada com o dono, aproxima sua cabeça junto as barras da gaiola solicitando um afago, ou cafuné.

Reprodução do Graúna:

O Graúna atinge a maturidade sexual aos 18 meses. Faz ninho em árvores ocas, troncos de palmeiras, ninhos de pica-pau, em mourões, dentro do penacho de coqueiros e nas densas copas dos pinheiros, utilizando também ninhos abandonados de joão-de-barro. Ocupa buracos também em barrancos e cupinzeiros terrestres.

Às vezes faz um ninho aberto, situado em uma forquilha de um galho distante do tronco, em uma árvore densa e alta. Cada ninhada geralmente tem entre 3 e 4 ovos, tendo de 2 a 3 ninhadas por temporada. Os filhotes nascem após 14 dias e ficam no ninho 18 dias. O macho ajuda a criar a prole.

Hábitos do Graúna:

É comum em áreas agrícolas, buritizais, pinheirais, pastagens e áreas pantanosas, plantações com árvores isoladas, mortas, remanescentes da mata. Sua presença está fortemente associada a palmeiras. Vive normalmente em pequenos grupos que fazem bastante barulho. Pousa no chão ou em árvores sombreadas. Há quem confunda os Graúnas com o atrevido chupim (Molothrus bonariensis), famoso por parasitar o ninho de várias espécies (ex. tico-tico).

Graúna
Graúna

Enquanto o chupim é elegantíssimo, esguio e traja cintilantes vestes de tom violáceo, o Graúna é negro e de porte mais avantajado, além de saber nidificar, não se descuidando da criação da ruidosa prole. No nordeste ocorre a subespécie (Gnorimopsar chopi sulcirostris), que é maior, medindo 25,5 centímetros de comprimento. Quando canta arrepia as penas da cabeça e pescoço.

Canto do Graúna:

É um dos pássaros brasileiros mais apreciados pelo canto, sendo uma das primeiras aves a começar cantar pela manhã. Seu canto é muito característico e alto, sendo formado por uma seqüência de assobios agudos entremeados de notas mais baixas. Eles costuram responder ao canto de outros pássaros pretos, formando uma verdadeira “batalha de cantos”. É comum vê-lo cantando até mesmo nos momentos mais quentes do dia.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Alan Costa

Sou Graduado em ornitologia pela (UFRJ) Universidade Federal do Rio de Janeiro, sou um amante da vida natural, é focado em sempre levar boas informações aos leitores.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar